Clínica Otorrino Penido Burnier
Reabilitação

As doenças que afetam o osso temporal ou ângulo ponto-cerebelar não raramente manifestam-se através do déficit de um ou mais nervos cranianos. Além disso, o próprio tratamento destas patologias pode levar a lesão total ou parcial desse nervos. Nessa região os principais nervos que podem ser acometidos são o nervo facial (movimentação dos músculos da face), nervo coclear (audição), nervo vestibular (equilíbrio) e os chamados nervos cranianos baixos (glossofaríngeo, vago, acessório, vago e hipoglosso).
Portanto, é essencial que a equipe que atue na área neurotológica saiba identificar e manejar adequadamente estes déficits neurológicos.

Audição

O nervo coclear basicamente carreia as informações auditivas transmitidas pelas células auditivas até o tronco cerebral. Estas estão presentes dentro de uma estrutura do ouvido interno chamada cóclea.
Diversas patologias (infecções, schwanoma vestibular, meningiomas, etc) que acometem a orelha interna ou angulo ponto-cerebelar podem afetar a função do nervo coclear e acarretar perda auditiva (geralmente do tipo neurossenssorial), parcial ou total.
Atualmente os principais modalidades de reabilitação auditiva são:

  • Aparelhos de Amplificação Sonora: simplificadamente estes dispositivos processam e amplificam os sons ambientais, sendo uma opção para a maioria dos pacientes com perda auditiva parcial (leve, moderada e alguns casos de perda severa).
  • Implante Coclear: é um dispositivo eletrônico cirurgicamente implantável que visa estimular o nervo auditivo através de impulsos elétricos. Indicado para pacientes com perda auditiva severa (alguns casos) ou profunda uni ou bilateral. É essencial no caso do implante coclear que o nervo coclear esteja íntegro. No contexto do tratamento do schwanoma vestibular pode ser indicado, em casos selecionados, onde se possa comprovar a integridade do nervo coclear (Figura 1)
Figura 1 - Implante Coclear

Figura 1 – Implante Coclear

  • Próteses de vibração óssea: assim como o implante coclear, são próteses cirurgicamente implantáveis e estão indicadas nas seguintes situações: perda auditiva neurossenssorial unilateral, perdas condutivas e perdas mistas. Os 3 dispositivos disponíveis para uso no Brasil são o BAHA (Cochlear), o PONTO (Oticon) e o BONEBRIDGE (MedEl) – Figura 2 e 3.
Figura 2 - BAHA Figura 3 - Bonebridge

Figura 2 – BAHA              Figura 3 – Bonebridge

  • Implante de Tronco Encefálico: Diferentemente do implante coclear, o implante de tronco está indicado para os pacientes com perda auditiva severa/profunda e que tiveram o nervo coclear lesado (pela doença ou pela cirurgia). Neste caso, os eletrodos são posicionadas diretamente no tronco cerebral, sendo uma cirurgia que na maioria das vezes exige a participação de uma neurocirurgião (Figura 4).
Figura 4 - Implante de tronco

Figura 4 – Implante de tronco

Nervo facial

O nervo facial emerge do tronco encefálico na região do ângulo ponto-cerebelar e até atingir a musculatura facial, apresenta um trajeto sinuoso pelo osso temporal, estabelecendo relações com diversas estruturas.

A lesão do facial pode ser parcial ou total e são causadas pela doença ou pelo procedimento cirúrgico. Na cirurgia do Schwanoma vestibular por exemplo,  o nervo facial geralmente está em íntimo contato com o tumor, o que constitui um desafio para sua preservação. Já na cirurgia dos paragangliomas jugulares, em grande parte dos casos, é necessária a descompressão e transposição no facial para o acesso ao tumor.

A reabilitação dependerá especialmente do grau da lesão neural e do seu tipo.

  • Fisioterapia: Tratamento realizado pelas fonoaudiólogas ou fisioterapeutas, que visa manter um tônus da musculatura facial adequado. Está indicada em praticamente todos os casos de paralisia facial subaguda e crônica (> 3 semanas).
  • Cirurgia: Há diversas cirurgias que podem ser realizadas, sendo as principais a descompressão do nervo facial (transmastoide, fossa média ou acesso combinado), anastomoses e as cirurgias de transposição muscular.
  • Outros: Aplicação de toxina botulínica.

 

Nervo vestibular

Responsável pelas aferências sensoriais do chamado labirinto posterior (utrículo, sáculo e canais semirculares), o nervo vestibular frequentemente está afetado em determinadas patologias. Dentre estas destaca-se o schwanoma vestibular, já que este tumor na grande parte dos casos origina-se exatamente da bainha neural do nervo vestibular. Durante o seu crescimento, o schwanoma tende causar a perda progressiva da função do nervo vestibular. Entretanto, geralmente os pacientes apresentam pouca sintomatologia (tonturas, vertigem). Isto deve-se a um fenômeno chamado compensação central, que é a capacidade do sistema nervosos central compensar a disfunção vestibular periférica. Entretanto, em alguns casos podem ocorrer sintomas de desequilíbrio ou vertigem, inclusive no pós-operatório.

Os principais tratamentos existentes são:
  • Medicamentos: os mais utilizados são o dimenidrato, a meclizina, a B-histina e o extrato de gingko-biloba. A indicação deve ser individualizada.
  • Reabilitação vestibular: indicada naqueles casos onde o mecanismo de compensação vestibular central ainda não ocorreu ou é deficiente.

Outros

Patologias que acometem o forame jugular (paragangliomas, schwanomas, meningiomas), podem afetar os chamados nervos cranianos baixos e levar a sua disfunção, causando as vezes sérias dificuldades e limitações aos pacientes.

Nervo glossofaríngeo: responsável por parte da sensibilidade da faringe e da laringe

Nervo vago: dentre suas diversas funções, destacam-se a inervação da faringe e da laringe (sensitiva e motora)

Nervo acessório: nervo motor, responsável pela movimentação do ombro e da musculatura costal alta.

Nervo hipoglosso: inervação dos músculos da língua.

Principais tratamentos:
  • Fonoterapia: especialmente relacionada aos distúrbios da deglutição que podem ser causados pela lesão dos nervos glossofaríngeo e/ou vago e/ou hipoglosso.
  • Traqueostomia: indicado nos distúrbios de deglutição severos
  • Gastrostomia: indicado nos distúrbios de deglutição severos